8 de outubro de 2011



“Eu gosto do claro quando é claro que você me ama. Eu gosto do escuro no escuro com você na cama. Eu gosto do não se você diz não viver sem mim. Eu gosto de tudo, tudo o que traz você aqui. Eu gosto do nada, nada que te leve para longe. Eu amo a demora sempre que o nosso beijo é longo. Adoro a pressa quando sinto sua pressa em me vir amar. Venero a saudade quando ela está para terminar. Eu gosto da falta quando falta mais juízo em nós. E de telefone, se do outro lado é a sua voz…” 

Sem comentários:

Enviar um comentário