25 de março de 2012

No fundo, nada vai passar, e eu pergunto:
-Qual o peso do amor? Ele era tão leve, tão solto, tão nosso. Mais leve que uma pena ao vento, mais respeitado que qualquer coisa no mundo. Mais forte que tudo, que todas as ligas metálicas, que todos os sentimentos existentes. Era leve, mas era sentido por nós, em todos os caminhos que corremos, juntos. E era por ser tão leve que era tão bom.
E agora, agora só me resta esperar. Meu Deus, e só me lembrei agora que a gente morre, mas... e o amor também?

Sem comentários:

Enviar um comentário